Desabafo de uma qawwi

#13| Finanças em tempos de crise: como prosperar – sem tornar-se um vírus perigoso para o sistema

Como é que alguns humanos conseguem prosperar e gerir as suas contas, enquanto outros afundam em dívidas? É nisto que estou a pensar enquanto coloco dois garrafões de água no carrinho, e vou ao encontro de Will e Erica no caixa do supermercado.

Neste planeta tudo tem um preço. Inclusive a água. E os humanos chamaram esta invenção de “laissez-faire”. Um mercado, onde as coisas só funcionam à base de troca. Para quem vem de um planeta onde toda e qualquer criatura tem acesso aos recursos, sem restrições, compreender essa tal “economia” é traumatizante.

Seja como for, por mais absurdo que seja, a verdade é que neste planeta, a sobrevivência depende desse factor: o dinheiro. Para lidar com isto, uma parte dos humanos recebe um “salário”, e o que é um salário? Uma espécie de prémio atribuído pelo sistema, mediante 30 dias de “trabalho” consecutivo prestado à outrem. Outros, entretanto, fazem o rendimento acontecer por conta própria. Há também os que agem de forma muito bizarra, mais ou menos como vírus. Estes são uma ameaça, pois podem corromper o sistema.

Corrupção

Viver neste planeta é isto. É saber lidar com a gestão de uma casa, de uma família, e de um salário para sobreviver. Normalmente eu não utilizo os meus poderes de qawwi para burlar o sistema e arranjar dinheiro. Isso só faria de mim mais um vírus.

Mas então, será que no meio deste caos, existe alguma forma de gerir correctamente as finanças e ter um equilíbrio? Estou inclinada a dizer que sim. Ora vejamos:

  1. Trabalhar no que se gosta

Na minha perspectiva de qawwi (que pode estar errada), quem realmente gosta do que faz, está mais propenso a ter êxito e consequentemente, a gerar melhor uma renda. Certo?

  1. Gastar menos do que ganha

Aqui a lógica parece simples. Utilizar somente os recursos de que se dispõem. Mas a realidade neste planeta não é essa. Muitos humanos têm a tendência de gastar além do que a sua conta permite, contraindo assim dívidas. O primeiro passo para o equilibro é eliminar este hábito.

  1. Controlar e moderar os hábitos

No meu planeta eu não precisava de alimentar-me, mas bastou chegar à terra para transformar-me no monstro do garfo. Quando trata-se de finanças, a comida é a minha ruina. Não sei qual é a sua fraqueza, mas para a mesma, tenho apenas uma palavra: moderação. Não apegue-se demasiado ao dinheiro, mas também não esbanje. Crie um budget mensal e respeite esse bugdet. Tenha autocontrole e adquira, primeiro, aquilo que realmente precisa.

SHOPPING-ONLINE-BOLSAS-PAQUETE

4. Traçar prioridades e metas

O tempo de estadia dos humanos no planeta terra é bastante curto. Logo, os humanos preocupam-se em aproveitar o máximo deste reduzido tempo (se não o fazem, deviam). As metas e prioridades são particulares à cada um. A minha prioridade, por exemplo, é viajar pelo mundo inteiro, até resgatar os qlubs. Mas para humanos como Will, por exemplo, a meta e o sonho pode ser fazer o tal “doutoramento”, passear num cruzeiro, casar, ter casa própria ou então organizar a tal “reforma”.

Estabeleça as suas prioridades e prazos realistas para atingir os seus objectivos.

5. Fazer uma poupança

A realização de alguns sonhos e metas requer planificação. Pela “poupança”, o humano guarda parte do seu rendimento para ter uma reserva que o permite mais tarde realizar os sonhos a longo prazo (ou aguentar imprevistos). Não importa o tamanho do seu salário/mesada/rendimento. O acto de poupar dinheiro, pouco que seja, ajuda a construir disciplina. É melhor poupar 10 e ao fim de um ano ter 120, do que não poupar nada. Eis alguns exemplos de como poupar:

As crianças e adolescentes (e também os adultos), podem ter um mealheiro para gerir as suas economias, criando deste modo, desde pequenino, o hábito de poupar;

– Crédito rotativo informal (xitique) – dependendo do número de pessoas a participar, é possível a curto e médio prazo ter um retorno garantido, sem estar sujeito à taxas nem comissões.

Depósitos a prazo – está a guardar dinheiro para projectos a longo prazo? Em vez de o deixar parado debaixo do colchão, porque não abrir uma conta a prazo ou uma conta poupança num banco? Assim, o seu dinheiro não só vai estar guardado, como também vai crescer e dar lucros que você pode utilizar.

6. Não se tornar um gatuno nem corromper o sistema:

Quaisquer que sejam as circunstâncias, não caia na tentação de apossar-se de dinheiro que não o pertence nem de o adquirir de forma ilegal. Isso só fara de você um vírus no sistema, que prejudica os demais.

Não imponha limites nos seus sonhos, nem nas formas de obter rendimentos para os realizar. Apenas o faça com responsabilidade e honestidade.

honest man