Cinema (Filmes / Séries), Outras maravilhas humanas

Vencedor sorteio – DVD

51361441_2262287347349915_4424550926086307840_n.png

Quase perdiamo-nos se na Via Láctea, mas felizmente regressamos. Um pouco atrasados, estamos aqui para anunciar o vencedor do sorteio do DVD, alusivo ao dia dos namorados.
O vencedor encontrado aleartoriamente pela caixa automática exclusiva de Stefanotis é Malikezi Wa Tiane! Parabéns Malikezi!

A todos, um abraço do tamanho da terra e continuem ligados ao diário de uma qaawi!

Outras maravilhas humanas

As monções e os templos do amor

5f76657d-a501-41d3-a476-09b6890ae035.JPG

 Por: Jorge Ferrão

Índia aproveita a suavidade do inverno tropical, para alinhar os seus ideais, metas e objectivos. Estes períodos de transição, grosso modo, se imbuem de espíritos benignos, esperanças renovadas e certezas de um presente, que não pode ser futuro e muito menos passado.

Visitar India, não importam as razões, parece um sonho, longo e inacabado. Todos, sem excepção, queremos, um dia, desfrutar desse misticismo dos templos, contemplar a grandeza Gandhiana, mergulhar na sétima maravilha do mundo, imponente Taj Mahal, arrepiar com o inacreditável Ganges, lacrimejar as papilas gustativas com sabores picantes de caril dos ventos, reverenciar  a diversidade e a espiritualidades das línguas. Todos queremos provar o chá, com ou sem Massala, que não é apenas uma bebida, mas uma cultura milenar.

A Índia está segura que será o país mais populoso do mundo nos anos dois mil e vinte e dois mil e vinte e cinco. Igualmente, fará parte das cinco maiores economias do planeta. Estas perspectivas já remexem as posições políticas estratégicas geo-políticas. As monções se configuram generosas. A natureza tem sido benevolente. A India não procura parceiro, são estes que vasculham os caminhos que vão dar as Índias, como foi a rota milenar das sedas e especiarias.

Um pouco mais de 93 países e 600 convidados desdobram-se em explicações e conjecturas, sugerem modelos e roteiros para assegurar que não ficarão excluídos das rotas e círculos finais. Assegurar que as novas geometrias os incorporem. São sonhadores, políticos, governantes, estudiosos, generais e peritos que se antecipam a aurora do novo gigante.

Os mares foram os responsáveis e a principal via de ligação entre os nossos povos e países. O oceano Índico serviu de berço e estrada de civilizações, segredos, partilhas e amizades. Os ventos, em particular, as monções, facilitaram as rotas e interações.

Mares e ventos, com todo o secretíssimo que os tipificam e com os misticismos que os rodeiam, são a base de uma sociedade de conhecimento, ancestral, porém eficaz e perene. Portanto, mesmo que não conheçamos a Índia física, a conhecemos de forma cultural, nutricional, espiritual e comercial. Conhecemos a Índia como nos conhecemos a nós mesmos e, só os indianos, conseguem falar, com tanta fluência, as nossas próprias línguas.

Moçambique representa a sexta maior diáspora indiana no mundo, com cerca de vinte e cinco mil (25.000) cidadãos de origem indiana residentes no interior e litoral do país.

Este longo percurso respalda as actuais relações diplomáticas, comercias, formação e de cooperação entre os dois povos e países. Os povos indianos aqui residentes, não serão, jamais, tidos como uma diáspora, mas como uma extensão das restantes comunidades que aqui se instalaram e constituem a matriz étnica, cultural e racial moçambicana. Só em 2016 a Índia investiu cerca de dois biliões de dólares, colocando-se como o terceiro maior parceiro de exportação de Moçambique e, sétimo maior parceiro de importação.

Moçambique e Índia também se associaram a duas questões estratégicas na actualidade. Em primeiro lugar a questão demográfica e, em segundo lugar as mudanças climáticas. Estes são os desafios da actualidade, pois, as economias, num período de grandes mudanças tecnológicas, precisam de se adaptar. A estabilidade social dos nossos povos e países, depende da melhoria das condições sociais e, do bem-estar dos jovens e dos nossos povos.

Neste período caracterizado pela constitucionalização da ordem global, a Índia também nos ensina a manejar as ferramentas da interdependência, multilateralismo, cooperação regional e Internacionais. Tudo sem clichés. Tira o maior proveito da ciência, não apenas para a governação, mas e principalmente, para a própria segurança nacional e bem-estar societário.

No final, Taj Mahal, esse majestoso mausoléu, localizado na cidade de Agra, foi construído em mármore branco, entre os anos de 1630 e 1652. Neste período mais fresco recebe mais de 50000 visitantes diários.

Todos ganham desse turismo de grande intensidade e baixo rendimento. Porém, ganham mais ainda os intermédios. Esse segmento que fica alheio a tudo e todos e encaixa receitas fabulosas.

Neste pós-neoliberalismo, sobrevivem os visionários e audazes. Porém, só se tornam eternos, os que amam o próximo, seus familiares e seus povos. As monções carregam amor e os amores são sinónimos de novos tempos.

categoria: maravilhas humanas

c51c0fa3-19a6-4887-9c1e-cba9dd587bae.JPG

Outras maravilhas humanas

Moçambique Top 8: se ainda não ouviu – vale a pena ouvir

Aquando da compilação de algumas curiosidades sobre Moçambique (veja aqui 12 Factos que você desconhece sobre Moçambique) o primeiro país onde aterrou a nossa qawwi, muitos leitores trouxeram à nossa atenção um aspecto que ficou por ser ressaltado: a qualidade e as circunstâncias de algumas músicas que prestigiam o país.

Com efeito, os leitores relembraram-nos que Moçambique serviu de inspiração para músicos como Bob Dylan, com o tema que leva o mesmo nome e que pode considerar-se uma serenata ao país (álbum Desire – 1976):

Mile Davis, que criou “Catembe” para o álbum Amandla, de 1989:

https://www.youtube.com/watch?v=c8hqk2zF2G4

Bob James e David Sanborn, que fizeram o tema “Maputo”, para o seu álbum “Double Vision”, lançado em 1986:

Avante.

No post de hoje, iremos partilhar alguns temas produzidos por artistas do país, contemporâneos, alguns não tão conhecidos como os acima mencionados, mas igualmente fabulosos. Ou seja, se por alguma estranha razão cósmica você ainda não os conhece, prossiga com a leitura para matar a curiosidade.

Continuando: problemas cósmicos a parte e sujeito à apreciação subjectiva de cada um de vocês, acreditamos que os temas abaixo compilados, também exaltam a qualidade musical e de facto, valem a pena ser escutados.

Vamos conferir?

  1. Wene – Banda Kakana

A banda Kakana há muito que conquistou os corações dos moçambicanos. Temas como “Xiluva” e “Serenata” tornaram-se hinos de referência. A música “Wene”, um pouco mais recente que estas outras, continua a espelhar-se no estilo que cativou os apreciadores da banda. Confira:

  1. Apelamos a paz – Ronny Felipe

Para além do facto de ter um vídeo clip bastante emotivo, ressalta neste tema a relevância do apelo que não deve ser esquecido e a linda guitarra acústica. Confira:

https://www.youtube.com/watch?v=-4b8MPDL0N8

  1. Te Kizombar – Dom Kevin

Relativamente novo no espaço musical, Dom Kevin já promete arrancar suspiros dos amantes deste género. Confira:

  1. Mozambique – Selma Uamusse

A voz maravilhosa desta artista e a intensidade dos instrumentos nesta contagiante música, não permite nenhum coração ficar parado. Toca a vibrar o som do belo Moçambique.

https://www.youtube.com/watch?v=pvFk6l-TK6A

  1. Egumi Yah África – Emerson Ft Mazu

Poesia e reflexão, rimas e contrastes, são os pontos que convergem nesta agradável melodia com forte presença de instrumentos locais. O tema é interpretado pelo advogado e cantor EmerSOM, em colaboração com Mazu. Confira:

  1. Wansati – Rodhália Silvestre

Não é por acaso que a cantora venceu há pouco o prémio de melhor voz no festival Ngoma Moçambique 2018. É uma voz para lá de potente! Confira:

  1. Without you – Betto Jason

É difícil não nos apaixonarmos pelo saxofone neste tema. Para não falar do subtil, mas intenso coro de apoio. “Without you” é óptima para ouvir num momento mais descontraído, de preferência com um copo de vinho ao lado. Definitivamente das nossas preferidas. Ouça:

  1. Moya – Isabel Novella

Com a carreira lançada a nível nacional e internacional, Isabel Novella tem uma das vozes mais doces do país. A mistura de estilos e de línguas neste que é um dos seus primeiros temas, confere-lhe bastante originalidade. Nunca cansa. Ouça:

Gostou das nossas sugestões? Deixe os seus comentários e não se esqueça de subscrever ao blog ou de seguir-nos via facebook para acompanhar as novidades: https://www.facebook.com/qawwi.reviews

Outras maravilhas humanas

Anúncio! – vencedores do sorteio literário – 2018

O nosso homólogo vonordiano (com ajuda do autor Matt Haig em “os humanos”), deu os seguintes conselhos:

  1. Na terra, a nova tecnologia é uma coisa da qual te vais rir dali a 5 anos. Valoriza aquilo de que não te rirás no espaço de 5 anos. Como o amor. Ou a boa poesia. Ou uma canção. Ou uma refeição excepcional. Ou um bom amigo. Ou o céu.
  2. Existe apenas um género na ficção. Tem o nome de “livro”.

Com efeito, ao chegar à este planeta, a qawwi apaixonou-se pelos livros. Afinal de contas, os mesmos ensinam, entretém, fazem-nos companhia, transformam-nos, e sobretudo, fazem-nos sonhar. A pensar nisto tudo, a qawwi e a sua tripulação decidiram sortear 9 livros para os leitores do blog.

Tivemos concorrentes de Moçambique e do Brasil e agradecemos desde já a participação! Gostamos imenso dos nossos leitores e se pudéssemos, presenteávamos a todos os participantes (sabemos que todos queriam ganhar!!). Mas não sendo possível e na ausência de tecnologia do planeta da qawwi, recorremos a plataforma https://www.sorteiogo.com/en/draw/names, para fazer uma escolha aleatória.

No mais, com ou sem sorteios, esperamos que estejam todos a gostar de fazer parte desta jornada pelo planeta terra e pelas suas maravilhas. Sintam-se à vontade para deixar sugestões ou comentários, para que no próximo ano as nossas aventuras sejam ainda melhores!

Passemos então a conhecer os vencedores do sorteio de 2018:

  1. Os livros a escolha de Eron, o inspector de Xinzdimila e o medo De Virgilia, da Editora Selo Jovem e que faziam parte do pacote IV vão para Ana Dulce Ximenes.
  2. O livro Before – antes de Tessa (em breve sai adaptação cinematográfica desta obra) e o livro em busca do mar certo – do pacote III, vão para Suzana Ubisse.
  3. O Inspector de Xindzimila e o canto dos contos, vão para Larissa Santos.
  4. Por fim, vai levar para casa recados da alma e intempéries d’amor numa baía adormecida, Edson K-Brain.

Muitos parabéns aos vencedores do sorteio e para todos, votos de um feliz natal, um próspero ano novo e sobretudo, boas leituras!

Para o ano haverá novas e excitantes aventuras. Aguardem!

Um abraço qawwiano, de toda a tripulação.

Extra, um minuto!

Esperem! Linan acaba de dizer que para além destes vencedores, o blog irá oferecer brindes adicionais, para alguns dos leitores que muito encorajam e inspiram os episódios “desabafos de uma qawwi”. É pelo carinho e apoio de leitores como vocês que a nossa nave continua a navegar a todo o vapor! E agora? Serás tu um desses leitores? Fica atento, pois a qualquer momento pode aparecer a nave de Stefanotis depositando um brinde enviado pela nossa qawwi.

IMG_8164

Outras maravilhas humanas

Sorteio literário mais fabuloso de 2018! – Diário de uma Qawwi

ATENÇÃO amigos, leitores e blogueiros:

No diário de uma qawwi já é natal!

Animados com este lindo conceito que não existe no reino de Stefanotis, e em apreço aos amigos que embarcaram na aventura, a qawwi e a sua tripulação gostariam de desejar um feliz natal a todos os seus leitores! Para isso, organizaram este presente simplesmente bombástico!!

Copy of Ready forSummer!

Quer ser uma das 4 pessoas a levar para casa estes maravilhosos livros e ler na época festiva? Então participe no sorteio e habilite-se a ser um dos vencedores!

Para concorrer é só seguir as duas instruções abaixo:

  1. Se ainda não seguiu a página do diário de uma qawwi no facebook, entre na página e faça like;
  2. Se ainda não seguiu, siga o blog diário de uma qawwi (basta colocar o seu email no campo de subscrição).
  3. Para os já inscritos tanto no facebook como no blog, é só partilharem este post ou deixarem um comentário 🙂

E pronto, já está a concorrer.

Termos e condições:

  1. Os livros (listados mais abaixo) serão enviados para 4 leitores, de Moçambique, Portugal e do Brasil.
  2. O sorteio abre hoje (dia 1 de Dezembro) e encerra dia 12 de Dezembro de 2018.
  3. O sorteio será realizado no dia 13 de Dezembro e os vencedores serão conhecidos até o dia 17 de Dezembro!
  4. Os leitores de Moçambique e de Portugal concorrem aos seguintes fabulosos pacotes:

Pacote I.         

  • Recados da Alma, de Bento Baloi (saiba mais sobre o livro aqui)
  • Intempéries d’amor numa baía adormecida, de Malikezi Wa Tiane

1

Pacote II.

  • O Inspector de Xindzimila, de Virgília Ferrão (clique aqui para saber mais sobre o livro)
  • O Canto dos Contos, antologia com curadoria de Daniel Moraes (clique aqui para saber mais sobre o livro)

2

Pacote III.

  • Em busca do mar certo, de Cri Essencia (clique aqui para saber mais sobre o livro)
  • Before – Antes de Tessa, de Ana Todd (clique aqui para saber mais sobre o livro)

3

5. Os leitores do Brasil concorrem ao seguinte fabuloso pacote:

Pacote IV.

  • A escolha de Eron, de Ad Chaves (clique aqui para saber mais sobre o livro)
  • O Medo de Virgília, de Rosa Mattos (clique aqui para saber mais sobre o livro)
  • O Inspector de Xindzimila, de Virgília Ferrão (clique aqui para saber mais sobre o livro)

Pacote 4Feliz Natal!De que está à espera?

Boa sorte!

Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

Votos de toda a tripulação do diário de uma qawwi

 

Dia a dia de uma qawwi, Dicas, Outras maravilhas humanas

Aprenda a salvar os seus acessórios favoritos

A cada dia que passa, nós do diário de uma qawwi descobrimos que afinal de contas existem muitas semelhanças entre o planeta terra e o planeta da nossa qawwi.

Quem nunca caiu em desespero ao notar que o ferro de engomar queimou a nossa roupa favorita, ou então que o nosso acessório preferido está todo velho, coçado, ou rasgado? Grande desgraça, não é verdade? Acontece em muitos planetas.

636096711029269174-1712878392_shock

Antes de deitar fora artigos velhos ou rasgados, reconsidere. Há várias formas de recriar os seus acessórios favoritos e hoje falaremos de uma delas.

Idea-Bulb-392x300

Aliás, ouvimos falar do conceito dos 3 R da sustentabilidade (reduzir, reutilizar e reciclar) em algumas partes do planeta, acções que visam minimizar o desperdício de materiais e produtos. Achamos que esta ideia encaixa bem com este conceito.

Fonte:

É desta forma que hoje trazemos dicas de como reaproveitar e transformar os seus acessórios favoritos, a custo baixo, utilizando a capulana (print wax/canga).

Capulana

3OJan09016

Imagem via http://espacodemocraticoentrenos.blogspot.com/2011/05/kanga-capulanas-historia.html

A capulana[1] é usada nos países africanos de diferentes formas. Em Moçambique, por exemplo, as mulheres usam-na no seu dia-a-dia e principalmente em cerimónias tradicionais como funerais, casamentos, ritos de iniciação, cerimónias mágico-religiosas, e outras. Também chamada de “pano” em Angola, “Kitenge” ou “Chitenge”, na Zambia, Namíbia, e “Canga” no Brasil, o seu uso vai muito além da moda.

Fonte http://www.conexaolusofona.org/capulana-um-tecido-carregado-de-historia/

Na verdade, actualmente, a capulana está em voga em todo o mundo. Há várias peças e diversos acessórios úteis que podem ser feitos com este tecido.

O filme Black Panther, blockbuster do cinema mostrou a versatilidade na moda da capulana.

cf8e2bcd597ba971310b73bdee4a69c1

Pois bem, vejamos então exemplos de como a capulana pode salvar os seus acessórios favoritos:

  1. Uma bolsa rasgada

Bolsa Capulana 2

Olhe bem para esta bolsa de napa.

A faixa feita pela estampa verde foi inserida para cobrir o rasgão que ela tinha. A bolsa não só ressuscitou, como ganhou um certo toque original. E isto não custou mais de 150 Meticais (cerca de 2 Euros / 11 Reais). E pronto, a bolsa voltou a estar em circulação!

 

 

2. Blusa, casaco, ou camisa – (ferro de engomar atrevido)

 

IMG_2611

As vezes o ferro de engomar passa-se da carica e nos estraga a roupa (há que atribuir a culpa ao ferro). Antes de deitar fora a roupa queimada, considere recortar a parte estragada e substituir por um pedaço de capulana. A foto aqui ilustra um exemplo.

3. Pasta de Notebook

IMG_8008

O que lhe vem a cabeça ao olhar para este magnifico acessório? Pois é, a pasta não era assim. Como já estava um pouco desgastada, foi forrada com capulana e o resultado é este: uma nova pasta, única e original.

Compre artigos de capulana

Se a sua peça não tiver recuperação, sempre pode optar por adquirir um novo acessório. Os artigos de capulana são óptimos, não só pela beleza e originalidade, mas por também serem ambientalmente amigáveis. Veja, por exemplo, os sacos e pastas da Kassunga. Vai apaixonar-se pelos lindos e ecológicos artigos.

9308f07f-07d3-4d92-ad94-0208ef8a1cd1

Em conclusão, antes de deitar fora uma roupa ou um acessório, veja se não pode reciclá-lo, usando umas das dicas acima.

Ah, e já que estamos a falar de dicas para o dia a dia, recomendamos que espreite o blog Pitacos e Achados, plataforma que o diário de uma qawwi tem seguido, e que dá ideias verdadeiramente inspiradoras na área do bem-estar.

E claro, não se esqueça de subscrever ao nosso blog e ao nosso facebook para ficar a par das nossas resenhas, opiniões literárias e histórias da nossa qawwi.

Até lá.

[1] “Print wax” nos países de expressão inglesa

Outras maravilhas humanas

Mércia de lutas e sonhos – por Jorge Ferrão

Quando o dia terminar e, o sol tropical não tiver mais cores para projectar, na imensidão de todas as superficies e montanhas , nos lagos e baías, nas florestas e nos Palmares, não nascerá somente um novo dia, mas a vontade de lutar e vencer de quem faz da vida uma bandeira, do estudo um trunfo, das oportunidades um espelho. Gostaria de ter dito estas e outras palavras a Mércia. Jovem menina da UP Maxixe, estudante de leis e interpretações jurídicas, que acredita em Deus e, entende que Deus jamais escreve torto por linhas direitas  ou ,igualmente, torto em linhas tortas.

Ninguém é perfeito. Frase secular que, nem por isso,  revela o tamanho da perfeição. Existem milhões de pessoas que não tendo deficiência, alguma e aparente, possuem outras deformações. Mas, existem os que tendo uma deficiência, sequer são notados e parece viverem sem nenhuma. Vivem como batalhadores e, se auto- superam a cada dia e minuto de suas vidas. Vivem como se o dia fosse o último e só sabem fazer bem e assertivamente!

Mércia , essa jovem estudante natural da Massinga e estudante de Direito, nossa estudante, já no quarto ano e com metas bem definidas, veio para o mundo sem os braços. Complicações congênitas. Nunca se intimidou e, vitoriosa, escreveu sua própria trajetória. Agradece a Deus pela graça e dom da vida e, supera as adversidades, como se a vida não tivesse obstáculos.

Trato fácil, sorriso desmedido, franzina,  e caprichosamente questionante, Mércia nos ensina que os sonhos não tem limites, que os atributos mais nobres serão sempre o carisma, a inteligência e o charme. Fala de tudo um pouco, quer visitar a Itália, aprender italiano, trabalhar e ajudar outras crianças para que a educação inclusiva seja educação e não projecto. Mércia quer ser solidária e activista de causas. Solidarizar o natal de todos os meninos e, como recompensa, apenas quer um sorriso.

Conviver com um estudante, faz de nós aprendizes. Com dois estudantes, nos transforma em seus admiradores, porém vivenciar e testemunhar o percurso de perto de 60 mil estudantes, de todas as origens e desejos, nos transforma em verdadeiros seguidores.  Caçadores de talentos e profecias. Dos meus estudantes eu aprendo, a cada dia, muito mais que o sentido hermenêutico das palavras, mas o valor das suas ações, o fascínio dos seus sonhos e o delírio das suas convicções. Vivo nesta escola cujo sumário parece ser o mesmo, porém, o recital nunca se faz com o mesmo refrão.

Por estes dias vivi, com intensidade as graduações e as vontades de triunfo, de buscar, de trabalho, de afirmação profissional. Escutei juramentos e centenas de recados. Jovens de um país, onde 60% da população tem menos de 25 anos de vida. Intelectuais que travam uma luta tenáz contra as oportunidades e as tecnologias. Mércia, Foi das que mais me impressionou. Entendo, também, que o Chefe de Estado a tenha visitado na sua própria residência e oferecido um laptop, que ela usa com orgulho. Aliás, Mércia dispensa apresentações, mas, acredito, que conhecemos uma jovem de Facebook e não de alma, uma lindíssima menina de notas brilhantes, mas desconhecemos a profundeza do seu talento.

Os livros nos ensinam o sentido da idade, razão, identidade e o mundo. Não podem ensinar tudo. A experiência e o tempo são outros professores. Livros e vida combinados são imbatíveis gestores da nossa trajetória! Estou grato pelo que pude apreender da Mércia. Ela já é um símbolo incontornável da UP, mas, breve, será esse mesmo símbolo para os jovens da sua idade e com as deficiências das quais padecem! Mércia será a líder do passado que quisemos construir, do presente que ajudamos a transformar, e desse futuro de sonhos e realizações e de lutas e sonhos realizáveis!

Texto de Jorge Ferrão