Cinema (Filmes / Séries), Lançamentos!, Opiniões, Resenhas

Cinema|Avengers – Endgame (o inexplicável e inevitável) |Opinião

Título: Avengers: Endgame

Direcção:Joe Russo, Anthony Russo

Elenco Principal: todos os avengers

Género: Acção, aventura, fantasia, fantasia científica

Ano: 2019

avengers-endgame-poster-top-half.jpg

Imagem: BGR

Sinopse:

Nos eventos de Avengers – Infinity War, Thanos conseguiu deixar o universo em ruínas. Agora, os Vingadores remanescentes, irão juntar-se e aliar forças para desfazer as acções de Thanos e restaurar a ordem no universo, de uma vez por todas.

Opinião:

(SEM SPOILERS)

Estreou ontem Quinta-Feira (25.04.2019).

Os directores da película apelaram aos fãs que evitassem spoilers. Embora tenhamos muitos comentários e questionamentos, estes ficarão por ser feitos, em respeito aos que ainda não viram o filme. Portanto, a nossa opinião será breve e sem spoilers.

A projecção do filme no cinema rendeu inúmeras palmas da audiência. Muito mais do que às vezes acontece num show ao vivo. Tal por si só, compensou a experiência. Afinal, é um encerrar, gigante e épico, de mais de 6 anos de história dos avengers, numa jornada verdadeiramente única. A trama começa leve, mas desenrola como tempestade, revelando gradualmente plot twists (alguns há muito aguardados) e um elenco cheio de surpresas. A trilha sonora está lá. Talvez seja boa, mas acaba sendo engolida pelas cenas que roubam completamente a atenção do telespectador.

É bem possível, entretanto, que o filme deixe os seguidores divididos. Será que este inevitável desfecho, faz justiça à saga inteira e ao desenvolvimento dos personagens que foram cuidadosamente construídos ao longo dos anos? Se por um lado era necessário, e tal desfecho foi executado de forma arrebatante, não achamos coerência nenhuma nas teorias mal justificadas que foram apresentadas como suporte para o grande “endgame”. E mesmo assim… foi inevitável: aplaudimos a película durante a noite inteira.

avengers-endgame-thanos-1554573832.jpg

Imagem: Marvelstudio; Digitalspy

A nossa classificação: 4 de 5 estrelas

Confira o trailer:

(por VF – da tripulação)

Cinema (Filmes / Séries), Lançamentos!, Opiniões, Resenhas

Cinema | Nakufeva (Lizha James e Bang) | Opinião

“Nakufeva”, uma curta metragem produzida em Moçambique, conta a história de Jacob (Bang) e Lizha (Lizha James), um casal humilde e trabalhador, que vive numa zona periférica de Maputo. Lizha é a fiel e boa esposa, de português errado, cobiçada por outro homem, mais rico que o esposo Jacob. Este outro homem acaba ganhando em Jacob um inimigo. Paralelamente, o humilde casal, tira um prémio no totoloto e enriquece da noite para o dia. O dinheiro traz uma drástica mudança na vida do casal, inclusive na personalidade de ambos. Jacob deixa de ser um esposo presente, torna-se malcriado com a família, e torna-se amante da esposa do inimigo. Lizha, por outro lado, adquire outro tipo de indumentária, tornando-se elegante, mas continua com o português errado e mais ingénua do que nunca. Por forma a tentar salvar o seu lar, Lizha procura a ajuda de um pastor de igreja (este, tão duvidoso quanto o português da outra).

O filme tem uma premissa bastante básica, numa mistura de drama e sátira, sobre valores familiares, a prepotência do machismo, vingança e algumas crenças, facilmente espelháveis na sociedade actual. Propositadamente ou não, a película está mais para o género “musical”, do que qualquer outro, pese embora Lizha James seja a única intérprete das canções que compõem a trilha. O género, certamente, ficaria melhor servido se os personagens secundários coadjuvassem as canções e diálogos, como exige um bom musical. É verdade que as cancões e a cantora brilham bastante em cena, sendo um trunfo para o filme, embora acabem sobrepondo-se ao enredo. No que se refere à encenação da protagonista, o mérito é reduzido. A comunicação de Lizha simplesmente não funciona e a desliga por completo da personagem. Já Bang, parece bem mais natural e confortável no papel de Jacob. As cenas de luta exigiam claramente uma técnica mais aprimorada. As terríveis falhas tentaram ser trabalhadas pelo som. Vale o que vale.

077d4758-e9c9-451a-8e89-2961989977b7

O filme peca também, por não ter continuidade e por ter um início confuso (não entendemos a “participação especial” do personagem interpretado por Gilberto Mendes, nem a sua função). Destaque vai para o actor que dá vida ao pastor, que emprestou uma certa dose de originalidade ao filme.

Refira-se ainda, que foi uma verdadeira saga conseguir assistir à película. Actualmente em exibição nos cinemas Lusomundo, a película foi encaixada entre as sessões de outros filmes. Ou seja, se um telespectador comprasse o bilhete para ver “shazam” por exemplo, teria primeiro, necessariamente, de assistir a curta metragem. Por razões óbvias, isto não funcionou. Como resultado, ao chegar ao cinema, não havia previsão exacta para a exibição desta curta metragem. Há que se ter em conta, que seja qual for a natureza ou propósito da obra, houve a promessa de divulgação da mesma ao público. Assim, o filme não tem de estar no meio da sessão de outro, tampouco deve ficar escondido / com a apresentação à merce do acaso. É preciso um horário próprio para a sua exibição, ainda que livre.

4975f03a-dcfc-4439-8866-aa0a6e90a734

A nossa pontuação: 2,9 de 5 estrelas.

Confira aqui o trailer:

Cinema (Filmes / Séries), Lançamentos!

Lançamentos 2019 – os 10 filmes mais esperados do ano!

 

aladdin-cinepop

Nunca erramos nos prognósticos. Quer dizer, não muito. Por isso, na resenha desta semana, vamos falar de alguns filmes que seguramente são ansiosamente aguardados pelos fãs na lista de estreias de 2019. A lista é vasta, mas por hoje apostaremos em apenas 10. Vamos conferir?

10. Us

Director: Jordan Peele

Elenco: Lupita Nyong’o, Elizabeth Moss, Winston Duke, Tim Heidecker, Shahadi

Wright Joseph, Yahya Abdul-Mateen II

Os filmes com a participação de Lupita Nyong’o tendem a ser aclamados pela crítica. Este não foge à regra. Já com uma certificação de 100% no Rotten Tomatoes, a trama conta a história de um casal que leva os filhos de férias para uma casa de praia, e, de repente, vê a tranquilidade transformar-se em terror quando chega um grupo de estranhos maléficos, fisicamente idênticos a eles.

Estreia nos cinemas: 22 de Março de 2019

9. John Wick 3 – Parabellum

Director: Chad Stahelski

Elenco: Keanu Reeves, Halle Berry, Ian McShane, Laurence Fishburne, Anjelica Huston

Os bons regressam sempre. É o caso de John Wick. Ainda em fuga depois do ocorrido em Santino D’Antonio, John Wick luta para sair de Nova York, com ajuda de uma hitwoman (Halle Berry) que ainda confia nele.

Estreia nos cinemas: 17 de Maio de 2019

8. Men in Black International

Director: F. Gary Gray

Elenco: Tessa Thompson, Chris Hemsworth, Liam Neeson

E por falar nos bons, apesar de Will Smith e Tommy Lee Jones não estarem presentes nesta película, voltaremos a mergulhar no universo de Men in Black, só que desta vez bastante expandido, e com a participação de Chris Hemsworth e Tessa Thompson, que já contracenaram antes em Thor.

Estreia nos cinemas: 14 de Junho de 2019

7. Turma da Mónica – Laços

Director: Daniel Rezende

Elenco: Bianca Villar, Cássio Pardini, Charles Miranda, Cao Quintas, Karen Castanho

Quem nunca vibrou com a turma da Mónica? Na verdade, o universo mágico de Mónica, Cebolinha, Cascão e Magali, encanta crianças e adultos até hoje. Se pelo mundo ainda abundam revistas em quadrinhos e animação, é a primeira vez que eles encarnam actores reais. Na história, Cebolinha desenvolve um plano infalível para resgatar o seu cãozinho desaparecido, mas para isso vai precisar da ajuda dos seus fiéis amigos.

Estreia nos cinemas: 27 de Junho de 2019

6. It – Parte 2

Director: Andy Muschietti

Elenco: Jessica Chastain, James McAvoy, Bill Hader, Bill Skarsgård

27 anos depois (dentro da história), Pennywise o palhaço perverso, agora mais cruel que nunca, volta para infernizar o clube dos perdedores (desta feita tornados heróis adultos). Este é um dos filmes que não demorou nada a ganhar uma sequela.

Estreia nos cinemas: 6 de Setembro de 2019

5. Downtown Abbey

Director: Michael Engler
Elenco: Hugh Bonneville, Michelle Dockery, Maggie Smith, Elizabeth McGovern

Os fãs da série Downtown Abbey certamente vão apreciar esta película que é uma espécie de continuação.

Estreia nos cinemas: 20 de Setembro de 2019

4. Frozen 2

Director: Chris Buck, Jennifer Lee

Elenco: Kristen Bell, Idina Menzel, Josh Gad

Outro filme que vai ganhar uma continuação é o estrondoso sucesso “Frozen”. Nesta segunda parte, Ela, Anna, Kristoff e Olaf vão envolver-se numa nova aventura para descobrir a verdade sobre um antigo mistério relacionado ao seu reino.

Estreia nos cinemas: 22 de Novembro de 2019

3. Lion King

Director: Jon Favreau
Elenco: Donald Glover, Beyoncé Knowles, Seth Rogen, Chiwetel Ejiofor, James Earl Jones, Alfre Woodard

Se o “ciclo da vida” não tem fim, também não tem fim a nossa paixão por este clássico imortal. Quem já teve a oportunidade de espreitar algumas cenas, diz que devemos  preparar-nos para ficar de queixo caído com esta adaptação e as vozes arrebatadoras que traz.

Estreia nos cinemas: 19 de Julho de 2019

2. Aladin

Director: Guy Ritchie
Elenco: Will Smith, Naomi Scott, Nasim Pedrad, Mena Massoud

Os fãs podem ter ficado desgostosos com a aparência azul de Will Smith, que interpreta o génio da lâmpada, mas tal não diminuiu as expectativas a volta deste outro clássico da Disney transformado em live-action. Estão todos ansiosos para saber como será a interpretação de Smith e para ouvir os grandes temas que ambientam as “noites árabes” de Aladin.

Estreia nos cinemas: 24 de Maio de 2019

  1. Avengers: Endgame

Director: Joe Russo, Anthony Russo

Elenco: todos os avengers

Neste decisivo “endgame”, os fãs finalmente vão saber: depois dos eventos da guerra infinita, qual avanger regressará, e quem foi exterminado de vez por Thanos? Quem continuará nas futuras franquias? O filme estreia já no final deste mês (Abril).

Estreia nos cinemas: 26 de Abril de 2019

 

 

 

Lançamentos!, Livros, Opiniões

Meu chefe, meu pecado

6e3bc5a3-c8dd-476c-842f-99d476f6c0d9

Autora: Karina Jamal

Edição: 2018

Real Design

 

 

 

 

O convite para o lançamento desta obra circulou muito nas redes sociais. Tanto, que acabou atraindo a nossa atenção, pese embora nunca tivéssemos ouvido falar da autora. Para começar, gostaríamos de dar os parabens a Karina Jamal, por escolher, entre tantos hobbies e desafios, este que é dos mais exigentes e só persiste por genuína paixão: a escrita. Felicitamos a autora não só por escrever, mas também pela coragem de lançar a obra de forma independente, num mercado editorial de natureza complexo (mas também, o que é que não é complexo?). Para nós do diário de uma qawwi, todos que trilham por este caminho merecem a nossa atenção e admiração.

Com relação ao livro: o romance é ambientado em Maputo e traz a história de uma jovem secretária que apaixona-se pelo chefe e envolve-se com este, num relacionamento secreto e um pouco, digamos, desiquilibrado. O título, típico das fan fictions abundantes no Wattpad e outras plataformas do género, já dava esses indícios. Por falar em fan fiction, é mesmo essa impressão que dá meu chefe meu pecado: de estar na trilha de 50 sombras de Grey. Não lemos o Grey. Mas sabemos que a legião de fãs discute alguns valores morais na referida obra. De igual forma, nós também questionamos a protagonista que Karina oferece, a qual desconstrói a noção de independência emocional da mulher. Ou do ser humano no geral, se assim quiserem. Por outro lado, encontramos no par da protagonista, um protótipo cada vez mais típico na sociedade masculina, pelo que, é um tipo de personagem facilmente de reconhecer entre nós. Seja como for, há muitos apreciadores deste gênero, razão pela qual, esta obra, poderia, por ventura, encontrar um apreciável nicho no mercado.

Todavia, não é só de história que vive a narrativa. Se a autora trouxe uma história de pecados no ofício, nesta resenha gostaríamos de falar de alguns pecados na escrita.

O mercado editorial de hoje tem outra face. Aspirantes a escritores já não precisam de levar com portas na cara, de editoras que só apostam em autores que enquadram-se nas suas directrizes. A possibilidade da auto publicação nunca esteve tão mais disponível quanto na actualidade. Grandes autores, como John Grisham, por exemplo, começaram assim a sua carreira.

É certo, porém, que o escritor que sai pela chancela de uma editora tem mais ajuda e facilidade para fazer chegar um maior número de obras ao público, e consequentemente, estar mais propenso a atingir o sucesso. O que não significa que um autor independente não possa igualar.

O que há então de comum entre estes escritores? Ambos seguem algumas regras básicas. Leitura como ferramenta de trabalho diária, e revisão na construção do texto. Por melhor que o escritor seja, é aconselhável solicitar, sempre, a revisão de um terceiro. Reparem que, mesmo após muita revisão, escapa sempre um ou outro erro. Que dirá na total ausência? A autora de meu chefe meu pecado, desculpou-se na nota, pelos eventuais erros de revisão, visto que ela própria encarregou-se desta actividade. Efectivamente, os olhos de um escritor estão tão habituados à sua obra, que não detectam as falhas, as quais podem, por fim, comprometer bastante a leitura.

A capa é sugestiva, mas a diagramação e a paginação podiam ser melhores. Fora isto, temos fé que a manter-se a paixão de Karina, e se ela aplicar melhor as ferramentas apropriadas, poderá vir a contribuir para este género no mercado editorial.

Lançamentos!

Novidades # Lançamentos # 2018

Capa-Final_Taruma_website

Caros Leitores,

Vem aí uma boa novidade da Editora Cavalo do Mar. Trata-se do livro “Matéria para um Grito” do autor Álvaro Fausto Taruma. O lançamento desta obra vai acontecer no dia 12 de Dezembro do corrente ano, às 18:00, na cidade de Maputo.

Segundo as notícias publicadas no site do Instituto O Camões – Centro Cultural Português em Maputo, que acolherá a cerimónia do lançamento, a sessão prevê uma conversa com o autor, moderada pelos escritores António Cabrita e Lucílio Manjate e também a participação de Giselle Genna na leitura de textos, e Muzila na música.

“Álvaro Fausto Taruma está associado à geração impulsionada pelos movimentos literários Kuphaluxa e pela Revista Literatas, e que desponta no mercado editorial a partir de 2014. Com uma escrita marcadamente intimista, publicou “Para Uma Cartografia da Noite”, em 2016, que foi considerado segundo a Revista Caliban o melhor primeiro livro de poesia de um autor moçambicano. Neste mesmo ano foi ainda finalista (menção honrosa) do prémio 10 de Novembro, com o livro inédito “A Migração das Árvores”. É formado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Pedagógica em Maputo, atualmente exercendo docência ao mesmo tempo que se ocupa como Criativo de Publicidade, entre outras atividades de empreendedorismo social.”

Fonte:

http://camoes-ccpmocambique.co.mz/eventos/lancamento-do-livro-materia-um-grito/?fbclid=IwAR2emyKzxoc6dxycXnX4kRGaWkLrl1pj6hnTszWCMY8oWJS7PYmrlSxn1gE