Livros, Resenhas

Literatura| Na terra dos sonhos, de Agnaldo Bata | Opinião

Autor: Agnaldo Bata

Editora: Alcance Editores

Idioma: Português

Sinopse

Na terra dos sonhos conta a história de Ângela, uma mulher que nasceu numa pequena localidade do distrito de Manjakaze. Ainda nova, Ângela apercebeu-se dos desafios que a sua condição social (Mulher e Órfã) lhe impunham e quando todos pensavam que “sonhar” era o maior insulto que ela podia proferir, contra a moral social que a cercava, Ângela mostra ser forte e com o apoio dos amigos que os espíritos lhe enviam (Gabriel, Sitoe e Edson) dá o máximo de si para vencer cada desafio, sempre movida pela justiça, determinação e a eterna vontade de ver os seus sonhos realizados, o incontornável anseio de chegar à terra dos sonhos.

Opinião:

Justamente quando achávamos que tópicos destes (histórias a volta do êxodo rural, por exemplo) já estavam esgotados, eis que surge um romance com potencial para acrescentar algo mais à discussão. Sobretudo se estivermos a falar de uma história que tem como palco e contexto, o cenário Moçambicano. Mais do que nunca, é importante reflectir sobre os desafios actuais, ter esperança, e sonhar com um futuro melhor. Foi esta a mensagem que nós, como leitores, captamos do livro de Bata.

Através da história de Ângela, e com uma pena visivelmente sensível, o autor mostra-nos a realidade que infelizmente ainda é vivida por grande parte das mulheres moçambicanas, sem acesso à educação, pela sua condição e estatuto de mulher. Ângela, é assim, a grande heroína que nos abraça e nos inspira nesta jornada.

A narrativa socorre-se de uma técnica interessante, um diálogo constante e cruzado, entre os vários narradores que apresentam os seus pontos de vista, desde o médico que cuidou da gravidez da mãe da Ângela, tendo deixado relatos escritos para a rapariga, Ângela, a protagonista e Gabriel, que acaba tornando-se muito próximo de Ângela.

Apreciamos também o facto de o autor ter trazido à discussão questões sociais, como os direitos dos trabalhadores domésticos, o assédio sexual, a desigualdade e o acesso à justiça, e mais ainda, de alguns protagonistas, no final, terem se mostrado extremamente humanos, nas suas virtudes e falhas. Mais fácil, assim, de nos relacionarmos. Ah, e por falar em final, para nós este é o ponto forte do livro. Apesar da certa previsibilidade relativamente ao destino dos protagonistas, o autor trouxe um desfecho inusitado, futurístico, que revela aquilo que é (e se não é, devia ser) o sonho de qualquer moçambicano.

Já a diagramação, é um senão. As folhas largas e a letra pequena tornam a leitura um pouco desconfortável. Nada, porém, que perturbe a experiência e o mergulho na escrita de Agnaldo Bata.

Kudos, por mais oportunidades para todas as “Ângelas”.

A nossa pontuação: 4 de 5 estrelas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s