Desabafo de uma qawwi, Dia a dia de uma qawwi

#24 |O preço da liberdade

Uma lua plena dominava o céu escuro de Sydney, a cidade escolhida para a nossa última paragem. A janela do apartamento com vista para uma linha férrea, parecia o espelho do mundo. Comboios traziam chegadas e partidas, como quem traz ar para dentro e fora dos pulmões.

Sentada numa cabeceira tão pequena quanto a minha liberdade, lutava para terminar a tarefa. Era quase como tentar vencer o espaço. Restavam-me cinco minutos. A cabeça latejava, os braços tremiam. Agora tinha apenas dois minutos. Levei a mão ao rosto e limpei uma gota de suor. Sacudi a gola da camisola, decidida a controlar o meu destino. Mais um toque, um gemido de dor, e a pedra abriu-se. A luz que explodiu de dentro dela, irradiando todo o meu ser, não era outra coisa senão o meu coração em jubilo. Suspirei, aliviada. A partir daquele momento, caso a minha teoria estivesse certa, tudo o que eu tinha feito desde que chegara ao planeta terra, tudo o que havia tocado com a força dos meus poderes, permaneceria intacto. Acontecesse o que acontecesse. Isso significava que já podia voltar para casa. Após dois anos de ausência, a correr pelo mundo com Vallen, a fingir abraçar uma causa que não era minha, iria tornar a abraçar a minha família humana.

Nervosa e sem tempo, deambulei pelo apartamento. As janelas nuas entregavam-se solenemente aos reflexos do luar. Em desespero, procurei o oitavo qlub. Não podia deixar que Vallen ficasse na posse do objecto. É claro que ele consideraria o meu acto uma afronta, uma traição. Mas não existiam outras opções. Eu ia voltar para casa, e carregaria comigo as chances do inimigo destruir o planeta terra. Deparei-me, por fim, com o objecto. Vallen não se esforçara para o esconder.

Contei cada um dos meus medos, por forma a que pudesse medi-los. Primeiro os mais pequenos: medo de a minha teoria falhar. De não ser capaz de conviver com isso. Depois os maiores: medo de não recuperar a minha família. De ser apanhada por Vallen e perder os meus poderes. Porém, o medo de um mal, só leva à um mal ainda maior.

Meti o objecto no bolso.

– Aonde é que vais com o qlub, Linan?

Sabia que a voz às minhas costas pertencia ao meu maior medo. Vallen se tinha materializado dentro do quarto. Talvez estivesse a vigiar-me há muito tempo. Virei-me para ele buscando força em cada fibra do meu corpo. Disso dependia o meu futuro como qawwi. Arremessei-o para longe, mas Vallen regressou como tempestade. Todas as peças no quarto levitaram e vieram disparadas na minha posição. Desviei-me e atirei flechas quentes. A minha pontaria andava tão certeira quanto o meu desejo de voltar para casa. Vallen caiu no chão. Uma fecha despontava vitoriosa no seu ombro. Julgava eu ter vencido a batalha, mas tal pensamento desvaneceu-se quando dei por mim, parada no mesmo local, incapaz de teletransportar-me. A luz do luar relampejava pelo quarto inteiro.

– Eu sou um qawwi de palavra, Linan – Vallen lançava-me um olhar decepcionado, ao mesmo tempo que erguia-se, com uma mão pousada no ombro em cicatrização. Tinha os olhos vermelhos quando ergueu o braço na minha direcção – por ordens do Rei Réon que dá-me poderes e autoridade para isto.

– Não – murmurei lívida de pânico, sem conseguir mover-me.

– Vais sair daqui sim, Linan, mas não como qawwi.

E então percebi, quão alto era o preço da liberdade. Não era capaz de o pagar.

– Vallen, por favor, não.

Ele meteu a mão na minha cara. Senti os meus olhos acuarem-se, num misto de súplica e ira. Vallen transpirava. Sentia dor. Custava-lhe. Mas ainda assim não se deteve. Gritei, pois parecia que me cortavam à faca. A minha pele adquiria um tom acinzentado, sangue corria-me pelo nariz, e o meu rosto começou a esticar-se, como se quisesse abandonar o corpo. A minha essência de qawwi libertava-se, para sempre, do meu ser.

Vallen baixou a mão e eu tombei para o lado.

Ele agachou-se, vasculhou-me os bolsos e tirou o oitavo qlub.

– Aí tens. Tira bastante proveito dos dias que te restam na reles vida que escolheste como humana.

E desapareceu do quarto.

980x

Imagem: TVD – canal CW – Fonte Theodysseyonline

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s